Blog

Você está em: HomeBlogO que Job Crafting tem a nos ensinar sobre inteligência emocional?

O que Job Crafting tem a nos ensinar sobre inteligência emocional?

Ter claro quem se é, pontos fortes, vulnerabilidades e o que se quer ajuda o indivíduo a explorar o que é mais importante para ele no trabalho, proporcionando um maior engajamento e satisfação profissional.

Algumas empresas, como a Google, estão utilizando uma técnica chamada Job Crafting, que permite aos indivíduos criarem seu próprio trabalho. O conceito de ‘job crafting’ foi desenvolvido pelas pesquisadoras norte-americanas Amy Wrzesniewski e Jane Dutton, em 2001. Para Dutton, “O Job Crafting faz parte da inovação e da adaptabilidade do trabalho. Ele alinha as pessoas de forma mais clara com os seus talentos, interesses e pontos fortes.”

A técnica consiste em redesenhar posições e direcionar suas atividades e relacionamentos para que se encaixem melhor a suas características, habilidades e pontos fortes. Dessa forma, o resultado é uma equipe mais engajada, produtiva, indivíduos felizes e entrega de melhores resultados.

A ideia não é avaliarmos técnica, mas o que está por trás dela. Dessa forma, avalie essas perguntas: Já começou uma faculdade e desistiu no meio do caminho? Já pensou em mudar de profissão? A rotina de trabalho te atrapalha? Sente-se estressado quando se vê sob pressão? Tem dificuldades em trabalhar em equipe? Não consegue delegar? Certamente você disse sim para algumas dessas perguntas. E você saberia explicar o porquê de isso ocorrer com você? Quais são e o porquê de suas escolhas, ações e reações? Quantas pessoas você conhece que são contratadas pelos excelentes currículos, mas demitidas por suas atitudes?

SE VOCÊ PUDESSE RECONFIGURAR PARTES DE SEU TRABALHO E TORNÁ-LO MAIS SIGNIFICATIVO, VOCÊ CONSEGUIRIA?

Há muito falamos sobre a importância de conhecer a si próprio. Ter claro quem se é, pontos fortes, vulnerabilidades e o que se quer ajuda o indivíduo a explorar o que é mais importante para ele no trabalho, proporcionando um maior engajamento e satisfação profissional.

É raro encontrar alguém que consiga ter a clareza desses pontos de modo satisfatório. Se você não souber localizar, denominar e desenvolver suas habilidades não alcançará os resultados que tanto deseja e nem conseguirá corresponder às expectativas da empresa.

É preciso que, antes de qualquer coisa, percebamos o efeito que nossos comportamentos desempenham tanto na nossa vida pessoal, quanto profissional.

Segundo pesquisa da Catho, 80% das demissões não são referentes as habilidades técnicas, mas sim por questões comportamentais. Segundo o levantamento, dentre as cinco primeiras razões, três estão relacionadas à personalidade, como relacionamento ruim com a equipe, falta de dinamismo e inaptidão para a liderança.

O QUE PODEMOS APRENDER COM O JOB CRAFTING?

Podemos perceber que a inteligência emocional se tornou um fator de grande importância quanto ao desempenho profissional e pessoal de cada um, tanto quanto suas competências e aptidões técnicas.

Ser inteligente emocionalmente nos permite perceber melhor quem somos, construir e manter relacionamentos mais saudáveis, e tomarmos decisões mais claras e assertivas. Reconhecer quem se é possibilita que você tenha controle sobre seus resultados, contribuindo para seu crescimento pessoal e profissional.

Fonte: Catho

COMPARTILHE:
ÚLTIMOS COMENTÁRIOS

CADASTRE-SE E RECEBA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS SOBRE ENEAGRAMA NO SEU E-MAIL.

Todos os direitos reservados. Instituto Eneagrama. 2017

Desenvolvido por: DBlinks - Agência Digital