Você já tentou mudar a perspectiva e se observar por outro ângulo?

Mudar valores e compreender a si e aos outros é um gesto de carinho. Autoconhecimento evita a falência das relações humanas e te torna o dono legítimo de sua vida.

Talvez nunca as pessoas tenham alcançado um estado de consciência acerca de si, e do mundo que os cerca, como ultimamente. Globalização, pluralidade cultural, capitalismo, consumo, narcisismo, entre outros, são termos bastante conhecidos por todos nós. Somos uma sociedade consciente de sua finitude, donos de uma angústia com relação ao tempo que sempre nos parece escasso. Consequência: mudam-se valores. É o novo, o efêmero, o individualismo que valem.

Zygmunt Bauman, pensador polonês, diz que a era em que vivemos é a era da liquidez. Segundo Bauman, a vida líquida é uma vida precária, vivida em condições de incerteza constante.

As relações baseiam-se em prazer imediato, onde experiências dolorosas e tristes são motivos para fuga, tanto nos relacionamentos pessoais quanto profissionais. O que se valoriza e se busca incansavelmente é um estado de prazer eterno.

Caso contrário, as relações se desfazem. Que valores e atitudes são esses que transformam nossos relacionamentos de forma líquida como água?

Quem é você senão a soma do meio em que viveu até hoje? Quais fatores externos mostraram a você a melhor perspectiva de enxergar a sua realidade? Quantas pessoas passaram por sua vida e deixaram ensinamentos justamente por te mostrar outro ângulo de visão?

Todos somos pessoas singulares e a auto-expressão é inata. Porém por ironia, ao mesmo tempo tendemos a achar que todo mundo vê as coisas como nós. Da mesma maneira, queremos distância da diferença, pois consideramos que somente o que é igual é bom para nós. Temos dificuldade em interagir com a diversidade de perspectivas, o que nos torna pessoas que buscam relações que sempre proporcionem vantagens imediatas.

A nossa tendência mais comum é querer sempre modificar o outro. Esquecemos a singularidade de cada um e, de forma egoísta, desejamos que o outro mude para se adequar a nossa realidade e é por isso que hoje encontramos tantas dificuldades nos relacionamentos.

Tatiana Rabello, Trainer do Instituto Eneagrama, afirma que o colorido da vida também está nas diferenças e que o autoconhecimento é a melhor forma de lidar com essa questão.

Rabello afirma que o autoconhecimento evita a falência das relações humanas sociais e familiares. Ele nos liberta da prisão de fazermos as coisas sempre da mesma forma. Proporciona a oportunidade de provar coisas novas.

Portanto, por mais doloroso que seja, devemos sempre voltar o olhar para nós mesmos. O autoconhecimento é um gesto de carinho consigo e com quem o cerca. Perceber a sua forma de encarar a vida é dar condições de entender e aceitar as diferenças que – e de quem – o cerca, e diminui a ansiedade, bem como a angústia causada pela compreensão de nossa finitude, e, acima de tudo, torna sólido o que antes era líquido.

Contribuição no texto de Tatiana Rabello, trainer do Instituto Eneagrama Passo Fundo.

COMPARTILHE:
SIGA O IE BRASIL NAS REDES SOCIAIS

Todos os direitos reservados. IEneagrama. 2020